15715 visitantes n'1 ano!

Faz hoje 1 ano que temos o nosso contador a marcar por cada visita no nosso blog! Em 1 ano, tivemos cerca de 44 visitantes por dia! Nada mau! Este ano quero ver 60 =p
Obrigada a todos os que nos têm visitado e lido os nossos dias de Feminina!

XIV Trovas

Depois da grande presença na nossa Lisboa, cantando “Find it a way” (ou algo do género) bem alto, a Gatuna preparou a cidade de Braga para mais um grande Trovas!
Passava pouco depois das 17h quando a tuninha ouviu os motores do autocarro a arrancar rumo ao Norte. Violas, bandolins, cavacos e pandeiretas…, os instrumentos foram a postos para serem tocados e ensaiados durante o caminho, e músicas foram pensadas, fatos para a noite temática no BA feitos, tudo pronto para um grande fim-de-semana!

O relógio indicava as 22h quando chegámos ao Restaurante Panorâmico da Universidade do Minho, e o jantar esperava-nos com o requinte habitual: a festa começou com a nossa chegada! Depois de pousados os talhares, brindes, maneios e muita música foram soltos naquela enorme sala, até ver os braços das cozinheiras bem esticados com o nosso “Aaaaaaaaai, agora é que me Maneio!” Numa grande desforra com a Atituna, e sempre em grande convívio com a Tuna Javeriana, da Colômbia, a Gatuna e a Católica do Porto, a noite adivinhava-se longa, mas sempre em alta! Foi preciso passar da meia-noite para que conseguíssemos parar, respirar, e sair do restaurante, rumo à pousada onde pouco tempo iríamos passar!

O BA estava decorado a rigor para receber a Festa deste XIV Trovas, desta feita sob o tema “Cats, o musical” Como sempre, A FEMININA vestiu a preceito as suas hierarquias, e atrás das Veteranas Gatas seguiam as Caloiras ratinhas e as Candidatas Pulgas! Independentemente da vestimenta, a festa foi constante da Gata mais “velhinha” à pulga mais recente! Fomos 40 a tomar conta do Bar Académico de Braga até às 6h da manhã! Quais vozes roucas, pés cansados, festival no dia a seguir! A noite só acaba quando nasce o Sol, e lá ficámos, até ganhar coragem para caminhar até à pousada bem enroladas nas capas, insuficientes para proteger do imenso frio da noite minhota!

O nosso Sábado começou ao meio-dia, a caminho da cantina, e à procura de farmácias de serviço que pudessem ajudar a recuperar a voz rapidamente! Umas dicas daqui, uns pedidos dali, lá fomos buscar umas pastilhas para aliviar a garganta!
A tarde estava programada para receber um Passa-calles pelo centro de Braga. Foi um pouco mais longo do que os anteriores, e até por novos sítios, mas é sempre maravilhoso encontrar colegas de Farmácia por este nosso país fora, e foi com grande prazer que num dos postos cantámos a nossa Titula-me, a pedido de algum público presente! Foi também a primeira vez que cantámos fora de Lisboa a nossa Desfolhada =)

Findas as horas de folia, a concentração centra-se no palco. Foi feito o check-sound, e, depois de jantar, o ensaio final, ainda com retoques para afinar, e com uma grande estreia de estandarte a ser decidido na altura!
Sem medos, fomos a primeira tuna a actuar a seguir ao intervalo, e, fora o eco do retorno, cruzando os olhares cúmplices que com o tempo vão crescendo, sentimos o dever cumprido. O tempo passou a correr, e de repente já estávamos a anunciar o Ferreiro e a fazer a nossa “troca”! Não sei se foi dos nervos, mas a verdade é que quase só me lembro do tempo que não passava antes de entrarmos em palco, e depois de estarmos a subir as escadas, entre o público, a dizer adeus…

Desconfio que este ano, a TFIST, A JAVERIANA, a ATITUNA, A FEMININA e a CATÓLICA DO PORTO deram algum trabalho ao Júri! Mesmo depois da actuação da Gatuna, dos agradecimentos, e de toda a conversa de final de festival (que agora percebemos tão bem!), o veredicto final demorou imenso tempo a chegar… E de uma longa espera, a entrega de prémios mais rápida alguma vez vista! A Feminina foi ao centro 2 vezes: Melhor Estandarte (desta vez entregue não só à Xu, Lidgy e Buraca, mas também à Ermelas!) e Melhor Instrumental! E este, vai para as duas ensaiadoras que acreditaram nos “Dias Felizes”, Pascu e Rita Blue, e claro, a todas as que se esforçaram e esforçam ainda para o aprender e tocar no seu ritmo alucinante: Paxana, Maria (que tanto se dedicou desde que voltou de França), e todas as que para além do seu instrumento estão sempre “lá” para ajudar as restantes: Cécil, Beza, … E todas! Mesmo todas! Porque é pelo todo que pela 2ª vez este prémio nos chega às mãos =) Para todas: Parabéns!

Mas calma: ainda há mais!!! Na histórica Sardinha Biba Discoteca, fomos queimar os últimos cartuxos! Desta vez não foi a gritar Passa-calles, mas estendendo o estandarte bem lá no alto para não esquecer e fazer lembrar que, naquela noite, fomos as melhores!!!
Infelizmente às 4h da manhã dissemos “boa viagem” à nossa sempre afamada Lígia! Que de telemóvel sempre na mão esperava por notícias nossas para saber se o prémio Tuna mais Tuna seria entregue a Farmácia… foram longas horas de espera, imenso frio a enregelar-nos, mas acima de tudo um grande espírito entre aquelas que saltitavam com novas músicas para todas as veteranas, ou as que iam tentando descobrir um “spot” dentro da disco para as 40, ou as que tentavam animar aquelas em quem já pesavam as horas de folia, … Assim que o quentinho sorriu num canto “lá dentro” (porque até aqui só tínhamos espaço na esplanada!), A Feminina despertou, e lá invadimos a disco, pulando, gritando e sendo… lá está! A TUNA mais TUNA do XIV TROVAS! =) Sim Lígia, foi nosso!

O Trovas traz sempre muitas histórias para contar, mas devo dizer que nunca tivemos a um ritmo tão alucinante! Agora é não deixar esfriar o motor e continuar a todo o vapor neste semestre que ainda só vai no início! E agora a luta vai ser arranjar uma sala de ensaios onde caibam 60 =)

Claro que a finalizar este post sobre um começar com o pé direito, não podia deixar de dar um Parabéns muito especial a certas lapelas que tão orgulhosamente já erguem as suas colherezinhas! Foi numa noite obscura, numa surpresa imensa, em locais que não poderão jamais ser desvendados, que 4 meninas travaram a sua luta final para chegar bem alto! Já foram “Gatas” neste Trovas a Excelentíssima Veterana Tânia Mateus (a nossa Beza!), a Excelentíssima Veterana Inês Barreto, a Excelentíssima Veterana Inês Gonçalves e a Excelentíssima Veterana Marta Soares! Foi um prazer ver-vos crescer… É um prazer ter-vos deste lado. Parabéns meninas!

II Traçadinho

Depois de meses de dedicação, horas a fio a pensar, organizar, fazer contactos, solucionar, idealizar, sonhar, ..., o II Traçadinho passou simplesmente... a correr! Num abrir e fechar de olhos, as Tunas começaram a chegar à nossa Faculdade, e estes dois dias voaram! Com peripécias, novas soluções para procurar, muita festa, convívio, ... e apesar de alguns medos por uma data traída pelo jogo de Portugal, eleições autárquicas e muitas festas académicas para o mesmo Sàbado, vimos uma Aula Magna com um público bem composto!

video

Assim se fez o fado do nosso II Traçadinho!

Tuna mais Tuna: TunaMaria
Melhor Tuna: Lusitana
Melhor Solista: Lusitana
Melhor Pandeireta: Gatuna
Melhor Instrumental: Lusitana
Melhor Estandarte: TunaMaria
Melhor Passa-calles: Gatuna
Tuna mais Público: Gatuna

O grande OBRIGADA tem de ir para os nossos Pais e para a nossa família, que tanta paciência e compreensão têm desde que chegamos a casa depois do primeiro ensaio. Por perceberem, apoiarem, e ajudarem sempre que podem, nem que seja por se tornarem os nossos maiores fãs! Aos amigos que se queixam tantas vezes por não estarmos mais presentes, e aos colegas que dão o maior apoio quando mais uma vez ouvem “hoje não posso que tenho Tuna”! Também a todos os que mesmo mais longe ainda levam A Feminina no coração, e nunca esquecem, nem dizem que não.

Pela dedicação e presença, obrigada aos incansáveis Guias, que não abandonaram as tunas um segundo, desde que elas chegaram à nossa Faculdade até ao seu momento da partida, e claro, às Tunas pela devoção a este nosso espectáculo.

Por este II Traçadinho, obrigada aos Apoios e Patrocínios que acreditaram no nosso Projecto. Um especial agradecimento à Godal, pela prontidão, pela simpatia, pelas horas extra para que nada falhasse! À Reitoria da Universidade de Lisboa, pelo apoio desde o início, e à JasFarma por mais uma vez estar presente.

À Associação dos Estudantes por nos ajudar a chegar mais longe e ser o nosso alicerce sempre que precisamos! Pelo apoio incansável, por nos ouvir e receber sempre com um sorriso!

Não podíamos deixar de agradecer ao António Valério e ao João Pinto Basto pelas horas e as mil ideias! Ao Tiago “Nazareno” pelo fantástico cartaz, e ao autor da foto, António Botelho. A ti também, António, um obrigada por seres o nosso cameraman nestes dois dias!

Pela grande Feminina que somos hoje, obrigada a todas aquelas que um dia vestiram a meia roxa para serem connosco a Voz, a Melodia, a Alegria e este pedaço inesquecível da passagem pela Faculdade de Farmácia. Por crescerem ao nosso lado, e fazerem-nos crescer todos os dias!
Obrigada a todas que deram horas dos seus dias para que deixássemos o nosso cunho nesta Sala, nesta grande Aula Magna, numa noite como a de hoje. Por todos os dias que fazem com que valha a pena ser parte desta grande família que nos acolhe, ensina e nos dá aqueles que serão, sem dúvida, dos melhores anos da nossa vida.
Com dedicação, trabalho, presença, … O importante é acreditar que é possível.

Estar. Ser. Crescer. Viver.
Obrigada Feminina por tudo o que nos dás

Tourné 2009

Depois de um Agosto a terminar na sala de ensaios para uma actuação bem juntinho a Sintra, as malas foram feitas para rumarmos a mais uma Tourné d’A Feminina!
Tudo estava a postos para que São Martinho do Porto fosse a nossa cidade de início de ano, mas o moinho que nos esperava era mais do que acolhedor: para 43 meninas, não havia “chão” suficiente!
Sem medos nem hesitações, foi pôr os contactos a trabalhar e voilá, logo surgiu um belo apartamento nas Caldas da Rainha para nos receber!

A primeira noite começou tão em grande como acabámos no Domingo de regresso: nas Festas das Gaeiras, recebidas por um público espectacular, e acarinhadas pelo Presidente da Junta de Freguesia, que tão bem fez questão de nos receber!
Os dias, na verdade, passaram a correr… Mas ficarão para recordar a “noite de terror” no moinho, as horas passadas na sala a tocar, cantar, desfolhar, … as praxes, as amizades que se criaram, as pessoas que se conheceram, os momentos que se viveram, estes dias em que estamos juntas e somos uma só: A Feminina!


E que comece um ANO EM GRANDE!